A chuva que ninguém esperava




Recebi essa pergunta e decidi fazer um texto. É assunto pra render debate, mas vou direto ao ponto: Um pesquisador científico amigo meu diz que não deviam morar na cidade de Petrópolis, devido a geografia do local e sua localização ser o epicentro da formação de grandes formações de chuvas sob certas condições. Eu discordo disso. E usarei como exemplo a cidade de Los Angeles.


Los Angeles é muito maior que a cidade de São Paulo e sofria com o mesmo problema: inundações trágicas em sistema pluvial que não comportava o volume de chuva recebido. O mesmo problema acontece, pra citar o Brasil, em Belo Horizonte e outras cidades de MG, RJ e Recife, além de São Paulo. Em Los Angeles o problema foi resolvido. Em 1940.




Só pra citar um exemplo do RJ, de maneira documentada, a cidade sofre com alagamentos desde 1711. ATÉ AGORA É UM PROBLEMA SEM SOLUÇÃO, em um país que forma por ano 40 mil engenheiros.


Na cidade de Los Angeles, o problema foi resolvido com a construção de galerias pluviais usando o rio que leva o nome da cidade como canal principal para desaguar o volume de chuva. Os canais são tantos que são descritos como uma segunda cidade, subterrânea em diversos trechos. O leito do rio foi alargado com o uso de concreto e ganhou profundidade e canais foram construídos por toda cidade para levar a água até este rio em vários pontos. O ângulo de profundidade do canal é tanto que a água é escoada a mais de 50km/h para fora da cidade, permitindo a drenagem rápida de grandes volumes de chuva.



O volume de chuva em Petrópolis foi insano, acima das linhas de expectativa de qualquer relatório de previsão, a topografia da cidade é totalmente irregular e a situação continuaria sendo grave mesmo se houvesse um sistema mínimo de escoamento planejado, mas a falta do mesmo constrói essa situação. Nos vídeos do ocorrido, o volume de água correndo nas ruas, por cima, se assemelha a uma cachoeira. Pro volume de chuva acima do solo estar dessa maneira, abaixo está a ponto de uma explosão.



Depois de todos esses anos com chuvas torrenciais constantes e cada vez mais fortes, depois de tantas mortes, a prefeitura de Petrópolis, o governo do estado do Rio de Janeiro, o governo federal ou seja lá quem for que manda no Brasil agora e mandou nestes últimos séculos, ninguém chegou a uma solução para o problema de escoamento de água diante de uma chuva que ninguém esperava e no fim, chegamos ao ponto de haver pessoas cogitando abandonar e fechar uma cidade em um país que forma 40 mil engenheiros por ano.



Falta vontade e sobra vergonha na cara em 311 anos de governos que preferem chorar vítimas do que resolver um problema.

Posts recentes

Ver tudo